BEAUTY BEYOND SIZE

Hoje venho falar-vos de beleza. Mais importante, venho falar-vos de beleza apesar do tamanho, de beleza em todos os tamanhos, de beleza em ...

Hoje venho falar-vos de beleza. Mais importante, venho falar-vos de beleza apesar do tamanho, de beleza em todos os tamanhos, de beleza em todos os corpos, formas, feitios e tons de pele. Hoje falo-vos de amor próprio, de aceitação, de auto-estima. Como adolescente, acho que isto é algo sobre o qual temos que falar; como blogger, acho que devo usar o tempo de atenção que me dão para falar de coisas importantes, que nos afetam a todos, de uma maneira ou de outra, e que me permitam passar uma mensagem positiva e de aceitação.

Esta foto pertence ao projeto All Woman
Sei que o processo que nos leva a termos amor próprio e a aceitar-mo-nos tal como somos é uma estrada longa e um tanto quanto sinuosa e que nem sempre é fácil percorrê-la. E está tudo bem nisso. Está tudo bem em não gostarmos de nós todos os dias e em termos uns dias bons e outros menos bons. O importante é, acima de tudo, não deixarmos que esses dias menos bons nos dominem, nos oprimam ou nos impeçam de ver o melhor que temos em nós.

Acho que, como adolescente, é extremamente importante falar e ouvir falar acerca de aceitação; embora todas as fases da nossa vida sejam fases em que devemos gostar de nós independentemente de qualquer imperfeição, não é novidade nenhuma que é na adolescência que surgem a maior parte das inseguranças, principalmente sendo nesta altura que temos o nosso maior desenvolvimento, não só a nível físico, mas também a nível moral e psicológico. Posto isto, acho que é precisamente aqui que entra a importância da internet, uma vez que o amor próprio e o positivismo ainda não é tão abordado, por exemplo, nas escolas e afins, como devia ser.

Esta foto pertence ao projeto All Woman.
É principalmente a partir dos dezasseis anos que começam a surgir doenças associadas a hábitos alimentares, que na maior parte das vezes surgem associadas a baixa auto-estima e a pressão social. Novamente, é então de reforçar a importância da aceitação e do amor próprio nesta fase, onde costumam surgir as inseguranças e as comparações a outros corpos e outras pessoas. Juntamente com isso, vem a importância de controlarmos as coisas que dizemos e como dizemos, sendo que devemos sempre ter em mente que elas podem marcar as pessoas e provocar danos irreversíveis.

Na minha opinião, para além da falta de abordagem destes temas, aos adolescentes, e às pessoas em geral, mas já vos expliquei o porquê de estar a direccionar mais o meu post para esta faixa etária, faltam exemplos credíveis, exemplos reais. Falta vermos na televisão e nas revistas que está tudo bem em ser-se magro, mas que também não somos menos valiosos por sermos gordos - isto, claro está, desde que sejamos sempre, e acima de tudo, saudáveis. É aí que reside a importância deste tipo de projetos.

Esta foto pertence ao projeto All Woman.

Nunca tive peso a mais - geralmente até é o contrário, confesso - e, felizmente, sempre tive uma relação muito positiva com o meu corpo, relação essa que tem vindo a melhorar cada vez mais. No entanto, sei que o mesmo não acontece com todas as pessoas que me rodeiam e sei que muitas delas têm ou tiveram alguma dificuldade em aceitar o corpo onde moram, muitas vezes porque achavam ser, ou lhes diziam ser, "magras demais".  Ora sendo magra desde pequenina, alcunhas como Olívia Palito e "pauzinho de virar tripas" não faltaram durante o meu crescimento; felizmente para mim, sempre as levei como uma brincadeira e nunca me afetaram tanto como podem ter afetado outras pessoas.

Há algum tempo, contudo, uma amiga da família cujo passado ficou, infelizmente, marcado por uma doença ligada aos hábitos alimentares, dirigiu-se a mim para me dizer que estava preocupada comigo por eu estar "muito magrinha", tendo ficado subentendido que estava preocupada que eu pudesse estar na mesma situação pela qual ela já tinha passado. É claro que ela não tinha nada para além de boas intenções e que fez o que fez motivada por preocupação, algo que eu valorizo muito; mas a verdade é que algo daquele calibre pode ter efeitos muito negativos em alguém que não seja seguro do seu corpo.

É por causa desse tipo de coisas que volto a repetir a importância que projetos como o BEAUTY BEYOND SIZE, o All Woman e tantos outros movimentos do género têm na sociedade de hoje em dia. E isto porque a mensagem desse tipo de campanhas não é uma mensagem de aceitação direccionada a magros nem a gordos, mas sim uma mensagem que nos diz que todos os corpos são bonitos, desde que sejam corpos saudáveis.

Esta foto pertence ao projeto All Woman.
Antes de terminar o post, até porque acho que ele já começa a tornar-se um pouco redundante, quero falar-vos de um último tópico - a importância de exemplos reais e de incentivo à aceitação e ao amor próprio também no sexo masculino. Sei que a maior parte deste post foi mais direccionado para o sexo feminino, ou pelo menos as imagens apenas o representaram, mas a verdade é que é algo sobre o qual me sinto mais confortável a falar, pois é algo com que me identifico mais facilmente. Posto isso, acho que é muito importante passarmos a mesma mensagem de aceitação e de positivismo ao sexo masculino, uma vez que acabam por ter menos representação.

Créditos na imagem - ilustração partilhada no DeviantArt
Para terminar, e agora sim, terminar mesmo, quero só repetir que o processo que nos leva a gostar de nós próprios e a aceitar-mo-nos tal como somos. E está tudo bem nisso. O importante é irmos a caminho. É gostarmos um pouco mais do corpo onde moramos a cada dia que passa. É arranjarmos cada dia uma nova razão para gostarmos do que vemos ao espelho.




Sobre o BEAUTY BEYOND SIZE 

Achavam mesmo que eu vos ia trazer um movimento tão bom e tão interessante sem vos falar mais sobre ele? Nada disso! Conheci o BEAUTY BEYOND SIZE através da Sónia, autora do She Writes; tal como o nome indica, este é um movimento que apela à beleza para além do tamanho que temos. Toda a gente sabe que a internet tem uma influência muito grande na vida das pessoas e, como bloggers, essa influência também nos toca um pouco a nós. Com este movimento, estamos a usar essa influência, muita ou pouca, não importa, para passar algo positivo - uma mensagem de amor próprio e de aceitação.

MAIS INFORMAÇÕES EM info@shewrites.pt.

You Might Also Like

22 comentários

  1. Ahhhh, Bia! Adorei! Adorei que te focasses na aceitação do corpo na altura da adolescência, pois é das alturas mais cruciais e de onde surgem mais problemas de auto-estima.

    Escreves tão, mas tão bem. Muito obrigada por teres participado neste projecto e de nos teres dado este teu testemunho. Toca-me muito no coração quando vejo pessoas que se sentem bem como elas são mas não descartam os problemas dos outros e querem, inclusive, ajudá-los. És uma dessas pessoas, o que te faz ainda mais linda aos meus olhos :)

    Beijinhos,
    Sónia Rodrigues Pinto
    SHE WRITES

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ohhh, Sónia! Comentários como este deixam-me de coração cheio, a sério! Fico tão contente por teres gostado do que escrevi e por ter conseguido passar a mensagem certa. Muito obrigada eu, por teres partilhado um projeto tão bom com a comunidade e por nos incentivares a trazer algo tão bom para a blogosfera!

      Obrigada pela tua visita e pelo teu comentário e, novamente, pelas tuas queridas palavras! Um beijinho!

      Eliminar
  2. Para mim foi um dos posts mais lindo que li até hoje. Gostei imenso como abordaste!

    Beijinhos,
    Dezassete

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico tão contente por teres achado isso; muito obrigada, a sério! Obrigada também pela tua visita e pelo teu comentário.

      Um beijinho!

      Eliminar
  3. Adorei a forma como abordaste o tema.
    Eu na adolescência era gozada por ser muito magra, era o "esqueleto" da turma...enfim.
    Os jovens são maus, só "eles" são perfeitos. :c

    BLOG | FACEBOOK | INSTAGRAM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito contente por teres gostado! Do que disseste, só discordo da palavra que empregaste; não acho que os jovens sejam maus, acho sim que (grande parte deles) sentem a necessidade de inferiorizar os outros para se sentirem melhores consigo mesmos, o que é lamentável.

      Obrigada pela visita e pelo comentário. Um beijinho!

      Eliminar
  4. Sempre caracterizei o meu blogue como um sitio onde gosto de escrever textos motivacionais. Claro que escrevo sobre tudo e mais um par de botas, mas gosto de puxar o mulherio (e o ser humano em si) lá para cima. E este texto é algo com que me identifico e bastante, acho que acertaste em tudo o que escreveste. parabéns! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico contente por te teres identificado! E se gostas "de puxar o mulherio (e o ser humano em si) lá para cima", este movimento é o ideal para ti! Muito obrigada pelas felicitações! Obrigada também pela visita e pelo comentário.

      Um beijinho!

      Eliminar
  5. Parabéns pelo teu post Bia! É de facto bonito ver uma adolescente com este nível de sensibilidade. Eu fui também aceitando o meu corpo e penso como tu, não importa como és, importa sim que te aceites a ti própria pois a partir daí ninguém poderá usar o teu aspeto como arma para te magoar. A beleza é algo que ultrapassa as opiniões alheias, é pessoal!
    Beijinhos! Gostei muito!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há uns tempos vi um filme chamado Pride que retrata um bocadinho do que disseste no teu comentário - um insulto só será um insulto se nós deixarmos que o seja, porque a mesma coisa que para os outros pode ser uma arma, para nós pode ser uma armadura. Achei algo realmente muito bonito e confesso que gostei muito de ver novamente essa filosofia neste teu comentário.

      Concordo totalmente com tudo o que disseste e fico muito contente que tenhas gostado do meu post! Muito obrigada! Obrigada também pela visita e pelo comentário.

      Um beijinho!

      Eliminar
  6. Adorei o post e dentro deste tema de aceitação e positividade corporal, não posso deixar de recomendar espreitares o meu projeto Mulher XL: www.mulherxl.pt :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito contente por teres gostado; irei espreitar, de certeza! Obrigada pela visita e pelo comentário.

      Um beijinho!

      Eliminar
  7. Eu estava precisando ler este post. Estou sem palavras... AMEI o blog.

    Café, Vodka e Literatura

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito feliz que as minhas palavras te tenham dado algum conforto e que tenhas gostado do Bookaholic! Obrigada pela visita e pelo comentário.

      Um beijinho!

      Eliminar
  8. É mesmo na adolescência e nas primeiras fases adultas que a aceitação de quem somos acontece e infelizmente somos criados de forma a compararmos-nos constantemente com outras pessoas mesmo sabendo como isso pode ser prejudicial para nós. Já conhecia essa campanha da All Women e acho que estes assuntos têm que ser desmistificados o mais rápido possível. Acho que o ser humano já deveria ter evoluído o suficiente para parar de ser "parvo" e preocupar-se com coisas realmente importantes

    www.ayellowrain.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, a adolescência e as primeiras fases adultas são cruciais para a aceitação de quem somos e o facto de estarmos "programados" a comparar-mo-nos uns aos outros não ajuda nada nisso. Concordo totalmente contigo quando falas da importância da desmistificação destes assuntos! Muito obrigada pela tua visita e pelo teu comentário, Catarina, é muito bom ver que outras pessoas partilham da nossa opinião!

      Um beijinho!

      Eliminar
  9. Adorei, amei o post! Faz sempre bem refletir com estes textos, e o teu está maravilhoso, gostei muito do tema e eu acho que desde que nós gostemos do nosso corpo e de nós próprias , então é tudo mais fácil :)
    Beijinhos,
    http://i-dreamer-girl.blogspot.pt/2017/07/passeio-por-lisboa-outfit.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito contente por teres gostado! Tens toda a razão, desde que nós gostemos do nosso corpo e de nós próprios, tudo se torna mais fácil. Obrigada pelas palavras, bem como pela visita e pelo teu comentário.

      Um beijinho!

      Eliminar
  10. Realmente tens razão ouve tempos em que tinha muitos complexos com o meu corpo porque faziam me bullying era ainda uma criança fizeram me isso desde o meu infantário ate ao meu 4ºano chegava sempre a casa a chorar a minha mãe cada vez mais cedo começa a aparecer estes problemas não so nos adultos mas tambem nas crianças começam assim a terem vergonha do seu corpo , excelente tema que abordas-te! //Jéssica Soares Segui ! Beijinhos. https://damselme.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo que vejo, o termos vergonha do nosso corpo é até mais comum na adolescência do que quando nos tornamos adultos, precisamente por ser uma fase crucial no nosso desenvolvimento, mas também uma fase em que surgem as maiores inseguranças. Fico feliz por teres gostado do tema e da forma como o abordei!

      Obrigada por te juntares a nós e obrigada também pela tua visita e pelo teu comentário. Um beijinho!

      Eliminar
  11. Também já fiz um post sobre este projeto e agrada-me imenso que cada vez mais pessoas tenham o prazer de falar sobre este assunto, que para muitas pessoas ainda é de algum modo tabú.
    Excelente post mesmo, do principio ao fim!

    Beijinho,
    A Namastê | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo muito bom ver mais pessoas a falar do mesmo assunto, é muito importante passarmos uma boa mensagem a quem nos lê! Fico muito contente por teres gostado do post. Obrigada pela tua visita e pelo teu comentário, Rafaela.

      Um beijinho!

      Eliminar

O teu comentário é bastante importante para o crescimento do Bookaholic e para que eu saiba o que achas dos conteúdos e o que posso melhorar.

Por favor, deixa também o link do teu blogue quando fizeres um comentário, de maneira a que eu possa também visitá-lo. Não te esqueças também de preencher a opção 'Notificar-me', para que possas saber assim que eu responder.

Muito obrigada pela tua vista!